domingo, 24 de maio de 2009

BORA LÁ AJUDAR ?

O final da semana acabou giro, com a palhaçada da esferovite na garganta, passeia a noite a tossir e com a impressão de ter unhas-de-gato nas goelas. No sábado acordei bem dispostinha, e fui logo cedo ao Nobreza deitar a cabeça num lavatório para me coçarem o couro e tratarem do cabelo como a uma rainha (pelo menos desfrutei uma hora de prazer), vim para casa revigorada, pronta para qualquer batalha, com as memórias limpas pelo champô de algas e as ideias arejadas com tanto secador! Toca o telefone, eis a amiga que a arfar pedia desculpas por nunca mais ter ligado e que já agora precisava de um ajudinha lá na tasca, pois que estava sem pessoal para ajudar e aos sábados era dia complicado. Assim sendo fiz-me ao caminho e lá estava eu prontamente a vender bolinhos mega doces e a servir chás exóticos, cliente aqui, cliente acolá …muita converseta com as amigas da amiga e com a prima da amiga, pois apareceram todas para ajudar. Eis que a prima, que é actriz, desata a falar do estéril mundo do artista sem cunha o que teve a sua piada e sugeriu umas peças de teatro que estavam em cena no fim-de-semana na Culturgest e era de aproveitar porque os bilhetes estavam ao preço da chuva. Pensei, boa, vou já ligar ao meu amigão, que tal como eu adora estas coisas, para me acompanhar sem demoras ao teatro, depois de me safar da venda das doçarias.
Ao telefone:
- Amigo, vamos ao Teatro hoje, bora?
- Nada disso!!! …estás louca? Estou cheio de trabalho, já nem durmo, já nem como, já nem nada! …estava mesmo a pensar ligar-te para me dares uma ajudinha e precisava que me comprasses tinteiros para a impressora e….
- Bora lá ao Teatro ….sniffff...
- Não posso! Vá, vem lá ajudar-me!
E lá me fiz ao caminho, comprei os tinteiros, e em menos de uma hora encontrava-me já em casa do amigo, que apresentava-se com uma cara de ave rapina seca, sem comida há vários dias, recebeu-me de pijama e até do abraço do costume se esqueceu, um ar abatido de professor que não faz nada - daqueles “MAUS” professores de história que NÃO aparecem no noticiário das oito, para que se possa ouvir em jeito de comunicado: professor encontrado morto em casa, causa da morte: esquecera-se de comer e beber durante uma semana, enquanto trabalhava numa actividade para os seus alunos. De corpo desidratado, numa das mãos ostentava uma pen de 16GB com o trabalho terminado sobre a exposição intitulada “90´ com os Ditadores”- bom e lá me envolvi numa pilhas de louça para lavar; abracei os tachos numa cultura culinária; ajudei na manufactura das apresentações gráficas; dei palpites e sugestões para o tal blog de apresentação; pus a mesa; levantei a mesa; lavei novamente a louçaria; colei cenas para a parte menos tecnológica da exposição, …foi pela noite toda de sábado e quase totalidade do dia de domingo.
Agora ia bem ao Nobreza deitar o corpinho todo na marquesa, e levar uma esfrega do cérebro até às unhas dos pés, porque amanhã é segunda e o galo canta às 6h30m. E garanto-vos que não vou atender telefonemas nem telefonar a ninguém mais hoje, porque eu vou é aproveitar o restinhoooo do fim-de-semana para babar no sofá e ver os filmes de domingo à tarde.

2 comentários:

Gaugamela disse...

ÉS O MEU ESPELHINHO, LINDA!
REALMENTE AO PONTO QUE SE CHEGA!
O TEU PROFESSOR JÁ MENOS SECO E MENOS RAPINA...MIL VEZES AGRADECIDO PELA TUA AJUDA!
KISSES NO PIPI

"Picos" disse...

De nada stôr!!!!
Love you 2