sexta-feira, 19 de junho de 2009

Suspiro de merdas - Cap.1


Por muito emotiva que penso e sinto ser, há coisinhas que me vão aos nervos da razão! Nem TODOS colam o cupido em TODAS as coisas da vida, pois não, e hoje, melhor esta semana fui uma delas.
Apresentava-se sim, um dia de colar a língua ao alcatrão, o calor abrasador fez-me na saída do portão da escola decidir gozar o primeiro dia de praia – prontamente o sol grita pelo verão, e igualmente meto no porta-bagagem o kit-beach – lá vou eu contentinha dentro de um frappé provido de brasas que é o meu carro sem ar condicionado, depois de três horas à chapa do sol. Mas quem são os queridos colegas que chegam no mínimo uma hora antes do exercício de suas funções laborais para apanhar os poucos lugares à sombra oferecidos pelas duas únicas árvores intactas à decapitação desta primavera? - Céus, imagino quem serão, são os tais pombos dos bairros típicos, certeiros na cagadela, ensinam os novos a ter uma medalha da sabedoria ao peito, chegam mais cedo têm lugar à sombra, mais rápidos que o toque, antes mesmo de os alunos imaginarem que disciplina vão ter, lá estão eles à hora exacta na sala com ar de sabedores de tudo fintando com orgulho os olhos de quem nunca decorou o horário! – e lá vou eu contentinha a caminho do areal, sorriso na cara dirijo o veículo a velocidade cruzeiro, paro nas passadeiras e dou permissão de passagem a quem não tem prioridade, agora sim lá vem o primeiro sério nervo; - e levantar a mazinha a agradecer a passagem, que tal anh? Não… o que é isso para uma aspirante a tia de cascais, pintada a louro rasca que acha que tem sempre toda a prioridade. Aceito a falta de educação, porque prontoS a Senhora acha-se com razão.
Chego à praia, lugar para estacionar? Há pois, não há! Fico tipo os velhos dentro do carro, parados à espera do lugar à frente da porta onde moram, porque senão estacionarem mesmo à frente ou nos cinco passos seguintes não é um lugar, o lugar! Esturro agarrada ao volante, eis que aparece O LUGAR!
Aiiii praia que bom…, mas espera, são três da tarde, um sol tórrido, esqueci do guarda-sol! A cinco banhos de mar, desisto na luta contra o calor que me seca a pele em poucos segundos, dano-me perante a clara evidencia de que estou velha, em tempo algum viria embora ao fim de uma hora de praia, mesmo debaixo de um sol do Ceára! Ralho comigo, refilo com os pensamentos, sei que estou a trocar a praia por uma ida ao hipermercado na delícia do conhecimento prévio que vou mercar para a zona dos refrigerados onde comprarei todo o tipo de iogurtes a fim de me refrescar, venho de cara fechada e sorriso ao contrário e a queimar a sola dos pés na areia de fim de praia como forma de castigo pela perda de atributos passados.
A fila de espera para estacionar na praia aumentou, sou simpática aceno que vou sair, entra uma morena no lugar, paro saio do carro e vou oferecer o ticket com duas horas de parquímetro à tal Senhora, que ao ver-me a bater no seu vidro fechado (ar condicionado, só posso rir), abre uma greta da janela, e com cara de mal parida engelha o rosto em gesto de “o que é que queres?”, vê-me com o papelito na mão, aceita fecha o vidro velozmente não vá o fresco sair. Ignora-me, ignora-ME!!! - e um obrigado anh?
Afinal o mal não é das louras das morenas ou das ruivas, das com ar de tia bem paridas ou as que ambicionam o ser. É um mal geral, é a actual sociedade onde vivemos, que medo!!! Os cães são bem mais educados!

3 comentários:

xuxu disse...

gente mal educada!
eu iria agradecer deixa lá!
;)

"Picos" disse...

Uffaaa que bom!;-)
Chego a pontos do desespero… espera pelos próximos capítulos.
Xi-corações.

Gaugamela disse...

Captas bem os detalhes da vida amiga...este blogue faz-te andar de olho bem aberto!