segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Oce ano


No ano passado, quando este blogue era um espaço activo, escrevi “picos de verão”, adorei escreve-los e penso afirmar com alguma justiça que estava bastante inspirada, provavelmente levada pela destreza dos escritos anteriores os “suspiros”. Ambiciono agora algo simples, consciente e refrescante, não arrisco dizer novo, porque não o é, mas sim creio desejar algo consistente em serenidade. Pode parecer estranho já que os últimos textos transbordam de um peso emotivo, carregados quase de desespero do “só”. Mas nada disso, garanto que nunca me senti tão acompanhada no meu estar. E a palavra é percebo-me.
Hoje percebo-me, não fujo em disfarces do talvez ou dos não sei. Sei perfeitamente quem sou, como sou e no que desejo ser. Sei o que sinto, como sinto e o que faço passar como representação do meu estado emocional. Não estou com isto a justificar-me ou a dar explicações, ninguém me as pediu nem eu tenciono esclarecer.
Mas escrever organiza o meu pensamento, o meu estado agitado, quase endividado como o não sei quem!
Perguntam-me se desejo o só. Não, não o desejo, mas também não desejo o conformismo do estar acompanhada. E assim se traduz esta bulha, não sou uma pessoa fácil, mas difícil nem tanto, desordeno sim os encantos do saber viver.
A vida encanta-me, já me preocupa o curta que ela é, a vida um momento, algo já escrito por milhares de milhões, nem tanto mais ou menos ilustres. E o momento é de vontades positivas.
Uma noite destas em sonho revi-me na personalidade da personagem do inconsciente. Sonhava então que amava um ser afável, calmo, meigo, acolhedor e preocupado, um ser definido pela tranquilidade. Mas na ordem do bem estar, eis que chega o agitador de águas. A tempestade faz igualmente parte do mais translúcido e sereno oceano. E como uma catástrofe natural chega o outro ser. Amei-o automaticamente à sua chegada, sem tempo nem vontade de consciencializar. Um ser luzidio, envolto em brilhos flashados, alegremente desmedido, activo e transcendentalmente agitado, todo o seu ser emanava emoções fortes.
Acordei como se nunca tivesse adormecido, aquilo era a tradução do meu desassossego emocional. Esclarecida pelo já sabido, fechei os olhos e porém adormeci.
Foto: Anna Silveira

6 comentários:

Anónimo disse...

Muitas vezes pensamos que nos conhecemos!

Depois novas coisas acontecem, novos desafios, desafios que nunca nos deram volta à cabeça e ...

Voltamos a reagir como não nos conhecêssemos, C'est la vie...

Cabe a nós interiorizarmos o que somos mesmo que não seja suficiente para dizer que nos conhecemos a nós próprios.
Todos temos as nossa dualidades, tu tens, eu tenho, eles têm...
Eu tenho uma, e que representa tudo o que 'acho' ser o melhor para mim e vivo tranquilo. Tenho outra que surge com todos os desafios com que me deparo neste projecto de vida. Devo ter mais (trilidade, quatrilidade), e espero que sim :=) pois torna esta 'passagem' mais emocionante ainda...

Beijo do OVO

Anónimo disse...

Afinal foi um pesadelo ou um sonho?
Muitas vezes sinto-me como tu, forte,com mil certezas, com força e adoro. Forte, forte, forte. Outras vezes esmoreço.Lembranças.? Nem tanto. Exigente? Sei lá. Mais comigo do que com qualquer pessoa, mas mesmo assim.. Quando descomplico complico. Quando quero resolver não tenho vontade, quando resolvo não sinto a vitória. Sou feliz. Feliz com medos. Assim penso que é toda a gente com consciência.Penso.
O andar "perdido" deverá fazer parte de 20% da nossa vida total. Permito-me que dentro desses 20% pelo menos 10% sejam "amor de perdição". Que mal tem? perdição por perdição...buff. Venho para desabafar em escritos.
Espero que seja da idade, nem demasiado jovem para ser imatura, nem demasiado "experiente" para que me torne aborrecida:)
2 beijos

"Picos" disse...

Querido OVO, e conhecemos! Não paramos é de nos surpreender e superar e isso é que é maravilhoso!
Beijo

"Picos" disse...

A vida é um sonho anónimo(a) 2 beijos, é um balanço de viver forte/fraco; contente/triste; complicar/descomplicar etc e tal mas vem sim, vem desabafar aqui, este espaço também é teu!
Obrigada e beijo grande!

Carolina Neto disse...

Está perfeito :O Escreve tão bem :)

"Picos" disse...

Carolina, obrigada tamanha gentileza.
Um abraço apertadinho.