quarta-feira, 22 de abril de 2009

Ao lado do pulmão

foto; Tomegomes
Regresso a casa pela A5, chega-me ao nariz, mais forte que o cheiro a dióxido de carbono, o aroma vindo de troncos maturos do pulmão de Lisboa, que bom, depois das últimas chuvas este odor forte a galhos banhados que agora secam à luz e calor deste final de tarde,dependurados num estendal natural as novas folhagens abanam emanando ainda frescura. Estão 27 graus, um calor tonto para esta época, este tempo baralha as ideias e as vontades, nasce o desejo de tudo e riu pelo desespero da provável impossibilidade do nada, porque hoje, tal como os outros dias regresso a casa, mas estão 27 graus, cresce a vontade de tudo e acabo por sorrir imaginando o nada!

1 comentário:

RuiMoutinho disse...

Desta vez, o meu comentário vai em forma de vídeo. Pulmões em origami para ti. bj.

http://www.youtube.com/watch?v=qdxbIRkITBk